quarta-feira, 13 de junho de 2012

Ícones do Cinema no Cineclube Araucária - James Dean

James Dean, um mito de Hollywood que burla a velhice

Astro de Juventude Transviada estaria hoje com 81 anos

Lenda do cinema, símbolo sexual e ícone de uma geração rock and roll, o rebelde James Dean ganhou um lugar no éden após sua morte, onde sua lembrança burla a velhice, se estivesse vivo em 2012, estaria com 81 anos.
Três filmes, quatro anos de carreira e um final dramático bastaram para que o promissor Jimmy, como era chamado pelos amigos, passasse de um menino de fazenda a um mito. Nunca ninguém conseguiu tanto em tão pouco.

A indústria de Hollywood ficou encantada com o ator após a estreia de Vidas Amargas (1955), primeiro longa no qual Dean aparecia como protagonista após trabalhar como coadjuvante em seis produções anteriores.

O filme dirigido por Elia Kazan soube reconhecer o potencial de um intérprete que lutava para sobreviver em uma profissão na qual o ator estreou fazendo anúncios de refresco e na qual, segundo as más línguas, chegou a realizar favores sexuais para abrir caminhos.

Talento não faltava a Dean, que nasceu no dia 8 de fevereiro de 1931 em Marion, uma zona rural de Indiana, Estado natal também de Michael Jackson, onde chegou a ser premiado em sua adolescência por seu desempenho esportivo e artístico.

Apenas seis anos antes de seu trágico acidente ao volante de seu Porsche em uma estrada californiana, Dean terminava seus estudos de bacharelado quando se mudou para cursar Direito e Arte Dramática em Los Angeles até 1952, ano que partiu para Nova York e se aventurou na Broadway pensando que ali encontraria a fama.
Após dois anos perambulando pelos teatros conseguiu papéis em duas peças: See The Jaguar e The Immoralist. Uma oportunidade que soube aproveitar e lhe valeu o prêmio Daniel Blum de Ator Revelação de 1954, ao tempo que captou a atenção de Kazan.
Da noite para o dia, James Dean seduziu uma Hollywood sedenta por artistas carismáticos para alimentar seu poderoso "star-system". Seu nome e sua imagem de menino mau começou a encher páginas de revistas como emblema de um espírito marcado pelo nascimento do rock e da teoria de viver depressa e morrer jovem, algo que Dean seguiu ao pé da letra. As filmagens de Vidas Amargas foram seguidas, quase imediatamente, por Juventude Transviada e Assim Caminha a Humanidade, filme que concluiu sua gravação um dia antes da morte do jovem ator de 24 anos. Por motivos contratuais com a Warner Brothers, Dean estava proibido de participar de competições esportivas, especialmente corridas de carros, enquanto trabalhava em um papel, por isso teve de esperar até o final de seu último filme para subir no seu carro rumo a um evento automobilístico.
Aquela viagem chegaria a seu fim antes do tempo, como quase tudo na vida de Dean, quando seu veículo colidiu frontalmente com outro em um cruzamento das estradas 46 e 41, no interior da Califórnia, um lugar fatídico que agora é um local de peregrinação para seus admiradores.

O destino quis que o jovem não pudesse saborear seu sucesso já que só viveu para assistir a estreia de Vidas Amargas, produção pela qual obteria uma indicação póstuma ao Oscar de Melhor Ator, em 1956; indicação que repetiria em 1957 por Assim Caminha a Humanidade.

Entre seus amores destacaram Pier Angeli e Ursula Andress, embora tenham lhe atribuído diversos romances e, inclusive, chegaram a especular sua homossexualidade em vários dos livros biográficos.
                  
                                  

"Copyright Efe - Todos os direitos de reprodução e representação são reservados para a Agência Efe."

Nenhum comentário:

Postar um comentário