segunda-feira, 18 de abril de 2016

CINEMA INDIANO E CLÁSSICAS COMÉDIAS NA PROGRAMAÇÃO DE ABRIL

Em abril, o Cineclube Araucária promove em Campos do Jordão as mostras Panorama do Cinema Indiano (entre os dias 21 e 24 de abril) e Clássicas Comédias (entre 28 de abril e 1º de maio), integrando a programação do projeto Cineclube Araucária – O Cinema de Volta a Campos do Jordão. Os ingressos são grátis em todas as sessões.

As produções que compõem o Panorama do Cinema Indiano são:

Black, de Sanjay Leela Bhansali; 3 Idiotas, de Rajkumar Hirani;
O Motim, de Ketan Mehta;
Lunchbox, de Ritesh Batra.


 O cinema indiano já tem mais espectadores que Hollywood. Seus atores não são ídolos só na Ásia, mas também na Europa, na África e até nos Estados Unidos. Bem-vindo à indústria cinematográfica que mais cresce no mundo. O cinema tem um papel forte na cultura indiana, desde a década de 1940, época em que o país se tornava independente da Inglaterra, e a telona ajudou a criar uma identidade nacional em um país cheio de culturas e religiões diferentes. Trinta anos depois, o cinema mostrou a insatisfação da população com o governo corrupto com filmes que exaltavam a violência e o crime, nos anos 70. Mas o boom começou mesmo na década de 90, quando veio a liberalização econômica e o país começou a crescer. A classe média emergiu com novos hábitos de consumo e valores. E o conflito de gerações foi inevitável. Não demorou para o cinema reproduzir esse dilema e criar uma nova fórmula de sucesso: os filmes de jovens lindos e ricos que se dividem entre o desejo individual e o casamento arranjado pela família. Funcionou. Hoje a Índia produz 1000 filmes por ano, em 20 das 22 línguas faladas no país (inglês incluído), contra 650 dos EUA. Em 2004, o número de espectadores de filmes de Bollywood alcançou 3,8 bilhões, ultrapassando pela primeira vez o público de Hollywood, formado por 3,6 bilhões de pessoas. O cinema indiano tornava-se o único Davi capaz de rivalizar com o Golias americano.

E os filmes da mostra Clássicas Comédias são: Mony Python em Busca do Cálice Sagrado, de Terry Gilliam e Terry Jones; Quanto Mais Quente Melhor, de Billy Wilder; Um Conto Chinês, de Sebastián Borensztein e A Riviera Não É Aqui, de Dany Boon.  

A seleção das Clássicas Comédias, tomou por base a publicação recente da revista Time Out London que elegeu os 100 melhores filmes de comédia de todos os tempos. A lista foi criada de uma forma divertida e transparente. Eles fizeram a pesquisa com mais de 200 pessoas cujo trabalho é fazer rir: escritores e diretores de comédia, atores cômicos e comediantes, cartunistas e contadores de anedotas em alguns países. Em seguida, fizeram uma média com todas as listas pessoais para publicar o tão esperado top 100. Na verdade, filmes de comédia são realmente difíceis de agradar a todos. Há humores peculiares em todos os níveis. Há quem prefira o humor negro, outros apreciam o tom mais pastelão ou ainda há aqueles que gostam mesmo é da coisa mais picante ou mesmo os politicamente incorretos. É claro que nenhuma lista vai agradar a todos, mas tínhamos que partir de uma base consistente, e nesse sentido, a lista da Time Out London se mostrou bastante útil.

Para a garotada, tem matinê aos domingos, às 15h. Neste mês serão exibidas as animações A Lady e o Lobo, de Anthony Bell e Bem Gluck; no dia 24 de abril, e Meu Malvado Favorito, de Pierre Coffin e Chris Renaud, no dia 1º de maio.

O projeto Cineclube Araucária - O Cinema de Volta a Campos do Jordão acontece com o apoio do ProAC (Programa de Ação Cultural do Estado de São Paulo) e parcerias com a Secretaria Municipal de Cultura e AMECampos (Associação dos Amigos de Campos do Jordão). Iniciado em fevereiro, prevê, até novembro, a realização de 20 mostras de cinema. Além das tradicionais mostras temáticas, a cada mês um país terá a sua filmografia exibida para o público jordanense, entre eles: Turquia, Brasil, Argentina, França, Canadá, China, continente africano e os já contemplados: Polônia, Irã e Índia.

A programação de 2016 inclui também uma série de Palestras e Seminários, visando à formação profissional de novos cineastas, com produção de curtas-metragens que serão o foco da segunda edição do Festival Curta Campos do Jordão, previsto para ocorrer em dezembro no antigo Cine Glória (atual Espaço Cultural Dr. Além). Outros destaques são a realização do 6º Encontro Cinemúsica de Campos do Jordão e da exposição Cinema Ilustrado: A Oitava Arte, ambos em julho, na sede da AMECampos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário