segunda-feira, 16 de março de 2015

OS PIONEIROS DA SÉTIMA ARTE EM DESTAQUE NO MÊS DE MARÇO

Na seqüência da programação indicada no projeto Cineclube Araucária - O Poder do Cinema em Campos do Jordão, a ser realizado ao longo de 2015 em Campos do Jordão, com recursos do Programa de Ação Cultural - ProAC - da Secretaria de Estado da Cultura, em parceria com a Secretaria Municipal de Cultura, a Associação de Amigos de Campos do Jordão - AMECampos, a Oficina de Artes Rosina Pagan e a Escola Estadual de Vila Albertina, o Cineclube Araucária traz para a tela do Espaço Cultural Dr. Além neste mês de março uma história Mostra cujo foco são as primeiras investidas dos pioneiros da Sétima Arte na França, nos Estados Unidos e no Brasil. Trata-se da segunda Mostra elencada no projeto financiado através do Edital 22/2014 do ProAC que tem por objetivo o desenvolvimento de ações de fomento na área da difusão e produção audiovisual no estado de São Paulo. Para os realizadores do projeto, esta Mostra se dirige a todos os interessados em entender o processo de criação e realização dos primeiros registros de imagens em movimento e a utilização dessa descoberta no desenvolvimento de uma nova arte de contar histórias e registrar acontecimentos. A Mostra Pioneiros do Cinema acontece de 19 a 22 de março no Espaço Cultural Dr. Além, situado na Av. Januário Miráglia, 1582 - Abernéssia, de acordo com a seguinte programação:





19/03 – 19h30 – PRIMEIRA SESSÃO DE CINEMA: OS IRMÃOS LUMIÈRE & GEROGES MÉLIÈS
França – 1894 / 1906 – Livre

Se os irmãos Louis e Auguste Lumière levam o crédito de pais do cinema, Georges Méliès é reconhecido como o pai dos efeitos especiais. Contemporâneos, eles tinham visões diferentes do cinematógrafo. Os primeiros registros de imagem em movimento realizados pelos irmãos Lumière são o que hoje poderíamos chamar de documentários: a captação dos fatos no momento em que ocorrem. Embora se diga que eles defendiam o uso do cinematógrafo apenas para fins científicos, a primeira sessão de cinema no Grand Café em Paris no dia 28 de dezembro de 1895 já atestava a sua finalidade como forma de entretenimento. A partir daquele momento, o cinema viria a ter pelo menos duas finalidades: ciência e arte. Se os irmãos Lumière já haviam se encarregado da primeira, é a George Méliès que devemos a propagação da segunda. Presente na primeira exibição do cinematógrafo, Méliès daria outros fins à invenção. Vindo do teatro, Méliès era um mágico que viu na câmera a possibilidade de construir sonhos jamais imaginados. Responsável por introduzir no cinema vários efeitos especiais básicos, foi o responsável pela criação dos gêneros fantasia, comédia e ficção científica na sétima arte. De fato a sua “Viagem à Lua” de 1902 é o primeiro filme de ficção científica da história do cinema.



20/03 – 19h30 – INTOLERÂNCIA, de D. W. Griffith
Estados Unidos – 1916 – 12 Anos
De acordo com a maioria dos críticos, David Wark Griffith foi o criador da moderna “linguagem cinematográfica”. Fundador da United Artists juntamente com Charles Chaplin e Mary Pickford, Griffith produziu e dirigiu mais de 300 filmes. Um deles é considerado o mais importante filme já produzidos em Hollywood. “Intolerância” é uma fantástica experiência na arte de contar histórias através do cinema, intercalando passagens de quatro histórias paralelas ocorridas em diferentes momentos da história da humanidade: a queda da Babilônia, a crucificação de Jesus, o massacre da noite de São Bartolomeu e as lutas modernas entre capital e trabalho. Tudo no filme é de uma grandiosidade raramente vista em mais de um século de cinema, desde a quantidade de figurantes até a suntuosidade de cenários e figurinos, sem contar as técnicas avançadas de iluminação e enquadramento das imagens. Uma oportunidade imperdível para todos os que se interessam pela história da produção cinematográfica universal.



21/03 – 19h30 – GANGA BRUTA, de Humberto Mauro
Brasil – 1933 – 14 Anos
Produzido por Adhemar Gonzaga para a recém criada Cinédia, Ganga Bruta de Humberto Mauro marca a passagem do cinema mudo para o cinema falado no Brasil.
Na noite de núpcias, homem descobre que sua mulher não era virgem e, enfurecido, a mata. Depois, enriquece e se apaixona por uma jovem do interior. O filme traça um retrato da vida brasileira nos anos de 1930, com sua violência urbana e repressão sexual. Por causa do tema polêmico, a crítica da época chegou não foi nem um pouco condescendente com o filme. Relegado ao esquecimento, foi recuperado em 1952 para a 1ª Retrospectiva do Cinema Brasileiro, que o consagraria como a obra-prima de Humberto Mauro. Anos depois, em sua Revisão Crítica do Cinema Brasileiro, Glauber Rocha o consideraria "um dos vinte maiores filmes de todos os tempos" e atribuiria a Humberto Mauro o título de "pai do cinema brasileiro".



22/03 – 15h00 – O SACI, de Rodolfo Nanni
Brasil – 1951 – Livre
A turma do Sítio do Picapau Amarelo vai para o mato à procura do Saci. Com este filme, Rodolfo Nanni ficou com o mérito de ter feito a primeira produção infantil importante do cinema brasileiro. Além disso, esta é a primeira adaptação para o cinema da obra de Monteiro Lobato, que, por sua vez, se inspirou na lenda do Saci-Pererê. O diretor teve uma excelente equipe para essa empreitada: fotografia de Ruy Santos, música de Cláudio Santoro e, o jovem Nelson Pereira dos Santos, como assistente de direção. 



sexta-feira, 6 de março de 2015

CINE GARAGEM RETOMA A PROGRAMAÇÃO PARA 2015 NA AMECAMPOS

O Cineclube Araucária em parceria com a AMECampos (Associação dos Amigos de Campos do Jordão) retoma a programação do projeto Cine Garagem que estréia no dia 7 de março de 2015 (sábado), às 19h30 na sede da AMECampos - Rua Dr. Reid, 68 - Abernéssia - com entrada franca.
Neste ano, o Cine Garagem apresenta uma seleção de filmes escolhidos pelo seu curador, Cervantes Sobrinho, em consonância com o calendário oficial de turismo da cidade. Em março o tema desse calendário é a aventura e o filme selecionado é A Vida Secreta de Walter Mitty, de Ben Stiller. Nele, Walter Mitty (Ben Stiller) é o responsável pelo departamento de arquivo e revelação de fotografias da tradicional revista Life. Ele é um homem tímido, levando uma vida simples, perdido em seus sonhos. Ao receber um pacote com negativos do importante fotógrafo Sean O'Connell (Sean Penn), ele percebe que está faltando uma foto. O problema é que trata-se justamente da foto escolhida para ser a capa da última edição da revista. É quando, Walter, com o apoio de Cheryl (Kristen Wiig)  e de sua mãe Edna (Shirley MacLaine) é obrigado a embarcar em uma verdadeira e bem humorada aventura.


Esta versão de 2013 é, na verdade uma refilmagem do original The Secret Life of Walter Mitty, de Norman McLeod, feito em 1947.

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

MOSTRA DE CINEMA E DIREITOS HUMANOS ACONTECE EM CAMPOS DO JORDÃO

A Associação Cultural Cineclube Araucária de Campos do Jordão se inscreveu e foi selecionada para funcionar como um dos pontos de exibição dos filmes que integram a programação do Projeto Democratizando da 9ª Mostra de Cinema promovida pela Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República.
As sessões, com entrada franca, acesso para portadores de dificuldades de locomoção e legendas especiais para pessoas com audição reduzida, acontecerão nos dias 2, 3 e 4 de março de 2015, sempre a partir das 19h30 no Espaço Cultural Dr. Além - Av. Dr. Januário Miráglia nº 1582 - Abernéssia. Todos os jordanenses são convidados a viver esse momento histórico na cidade, assistindo a verdadeiras obras primas da cinematografia brasileira e participando dos debates sobre o tema dos Direitos Humanos. Veja detalhes da programação no quadro abaixo.

domingo, 15 de fevereiro de 2015

CINECLUBE ARAUCÁRIA - O PODER DO CINEMA EM CAMPOS DO JORDÃO

Este é o nome do projeto da Associação Cultural Cineclube Araucária que recebeu o prêmio do Programa de Apoio à Cultura da Secretaria de Estado da Cultura – ProAC para incrementar o universo cultural de Campos do Jordão em 2015. Isto representa um enorme passo adiante na programação dos eventos sociais da cidade. O Cineclube Araucária, como é conhecido, já atua em Campos do Jordão desde 2011 e esta é a primeira vez que recebe aporte financeiro para cumprir a sua missão. Com isso, este será sem dúvida o ano do Cinema para os jordanenses. O Projeto prevê a realização de uma série de atividades que vai muito além da mera exibição de filmes. A inexistência desde muito tempo de uma sala de cinema ou de um ponto de reunião de pessoas para a apreciação de obras expressas pela linguagem do cinema foi o que motivou a criação do Cineclube na cidade. O trabalho pioneiro da Associação Cultural Cineclube Araucária vem, ao longo dos seus quatro anos de existência, suprindo essa lacuna de modo a oferecer aos jordanenses e moradores das cidades vizinhas a possibilidade de desfrutar dessa via de entretenimento e formação de cidadania através da exibição de filmes cuidadosamente selecionados para mostrar o poder da sétima arte na formação de valores e no desenvolvimento da capacidade de escolha. Em 2015, com o apoio do ProAC, essas metas se estenderão contemplando outras etapas:

Além de dez Mostras temáticas que incluem desde os primeiros filmes realizados pelos pioneiros da sétima arte, filmes asiáticos, filmes do leste europeu, um panorama do documentário brasileiro, obras de grandes diretores que fizeram a história do Cinema Universal, animações para jovens e adultos, o projeto do Cineclube Araucária prevê ainda a retomada das sessões infantis nas tardes de domingos no Espaço Cultural Dr. Além, a criação de uma Biblioteca especializada em Cinema que já recebeu em doação, mais de 350 títulos, a realização de duas oficinas profissionalizantes nas quais se produzirão filmes de curta metragem que serão apresentados ao grande público no final da temporada e ainda a realização da 5ª edição do Encontro Cinemúsica de Campos do Jordão no mês de julho.  Além do suporte financeiro do ProAC, o projeto conta com o apoio da Prefeitura através da sua Secretaria de Cultura, da Associação dos Amigos de Campos do Jordão - AMECampos, da Escola Estadual de Vila Albertina e da Oficina de Artes Rosina Pagan.


A primeira Mostra do Projeto, batizada como Mostra Avant Première, é uma prévia do que acontecerá ao longo do ano na tela do Espaço Cultural Dr. Além: Cinema Asiático com o filme chines Flores do Oriente, de Zhang Yimou (19/02); Panorama do Documentário Brasileiro com Jogo de Cena, de Eduardo Coutinho (20/02); Solidariedade – Convivendo com as Diferenças com o filme francês Gaiola Dourada, de Ruben Alves (21/02) e a retomada da programação infantil com Castelo Rá-Tim-Bum, de Cao Hambuerger no domingo 22/02 às 15h00. Todas as sessões tem Entrada Franca.



quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

CINECLUBE ARAUCÁRIA É UM DOS PONTOS DE EXIBIÇÃO DA 9ª MOSTRA DE CINEMA E DIREITOS HUMANOS



9ª Mostra Cinema e Direitos Humanos no Hemisfério Sul
DEMOCRATIZANDO
08 de janeiro a 31 de março de 2015
Pontos de Exibição

O Projeto Democratizando é uma iniciativa integrante da 9ª Mostra Cinema e Direitos Humanos no Hemisfério Sul. Por meio do projeto, pontos de exibição de todo o país se inscreveram para receber os kits elaborados pela produção da Mostra; os kits contêm obras que buscam suscitar o debate sobre os Direitos Humanos em âmbito nacional. Além disso, os espaços inscritos poderão organizar palestras, workshops e outros tipos de encontro para discutir Direitos Humanos e outros temas relacionados.

A Associação Cultural Cineclube Araucária de Campos do Jordão se inscreveu e foi selecionada para funcionar como um dos pontos de exibição dos filmes que integram a programação do Projeto Democratizando da 9ª Mostra de Cinema promovida pela Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República.

As exibições acontecerão entre janeiro e março de 2015, e são de responsabilidade das instituições que se inscreveram para receber o material do Democratizando. Cineclubes, pontos de cultura, institutos federais de educação profissional, científica e tecnológica, universidades, museus, bibliotecas, sindicatos, associações de bairros, entre outros, são os espaços que abrigarão esta ramificação da 9ª Mostra.
O kit Democratizando é totalmente gratuito e será entregue em caixa personalizada, contendo camisa, bolsa, bloco de notas, caneta, catálogo do evento e o encarte com 3 DVDs. Em formato digital, os filmes enviados terão como opção a utilização de closed caption e audiodescrição, além de legendas para cinco idiomas: árabe, espanhol, inglês, francês e mandarim.“A Vizinhança do Tigre”, de Affonso Uchoa; “Cabra Marcado pra Morrer”, de Eduardo Coutinho, “Pelas Janelas”, de Carol Perdigão, Guilherme Farkas, Sofia Maldonado e Will Domingos; “Que Bom te Ver Viva”, de Lúcia Murat; “Rio Cigano”, de Júlia Zakia; e “Sophia”, de Kennel Rógis são os filmes que compõem o kit.

2015 promete ser o ano do Cinema em Campos do Jordão. Outras boas novas estão por vir a público nos próximos dias. Entre elas está a inauguração, no mês de fevereiro próximo, da Biblioteca de Cinema do Cineclube Araucária. Doações de livrarias, editoras, centros culturais, organizações sociais e particulares já estão chegando e o trabalho de catalogação desse material está adiantado. Toda a equipe do Cineclube Araucária, além de alguns voluntários, está empenhada em dar o seu melhor pela Cultura na cidade.




sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

CINECLUBE ARAUCÁRIA RECEBE FILMES E LIVROS DOADOS PELA AMECAMPOS

Depois dessa, temos que acreditar mesmo em Papai Noel. A Associação dos Amigos de Campos do Jordão - AMECampos - acaba de fazer doação ao Cineclube Araucária de uma caixa contendo DVDs, fitas em VHS e livros sobre Cinema.


Entre os filmes que passam a fazer parte do patrimônio do Cineclube Araucária estão verdadeiras raridades como as clássicas comédias musicais brasileiras MARIDO DE MULHER BOA, de J.B.Tanko e TUDO LEGAL, de Victor Lima, além de NÁUFRAGO, de Robert Zemeckis e dois documentários sobre a bailarina francesa Sylvie Guillem: PORTRAIT, de Nigel Wattis e AT WORK, de André S. Labarthe. Preciosidades para os amantes da arte consagrada por Nureyev, Baryshnikov e Maurice Bejart.


O material já está catalogado como parte do acervo do Cineclube e certamente será utilizado nas suas futuras Mostras e Sessões de Cinema para deleite dos cinéfilos jordanenses. Quanto aos livros que vão fazer parte da Biblioteca do Cineclube Araucária, já em fase de organização e montagem, estão: três roteiros de importantes realizações de Roman Polanski, Saudades do Século 20 de Ruy Castro e uma primorosa obra de arte de Jane Mercer, publicada pela Photoplay, intitulada GREAT LOVERS OS THE MOVIES.




A Biblioteca do Cineclube deverá estar aberta à consulta pública a partir de fevereiro de 2015. Ficam aqui registrados os agradecimentos de toda a equipe do Cineclube Arauária à AMECampos pela valiosa doação.

sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

BLANCANIEVES, DE PABLO BERGER ENCERRA A PROGRAMAÇÃO DE CINEMA EM 2014

BLANCANIEVES, de Pablo Berger dá um verdadeiro “olé” na historinha criada pelos Irmãos Grimm

O filme espanhol Branca de Neve, de Pablo Berger, foi produzido quase na mesma época que o francês O artista, de Michel Hazanavicius. Ambos são histórias em preto e branco e sem diálogos, homenagens criativas à origem da arte cinematográfica. Porém, O artista surgiu para o mundo em maio de 2011, no Festival de Cannes; enquanto Branca de Neve apenas em setembro de 2012, no Festival de Toronto; o que fez com o que segundo não pudesse desfrutar da surpresa junto ao público e ainda passasse pelas inevitáveis comparações.

É difícil dizer se o desfecho da história seria diferente caso Branca de Neve fosse lançado antes. O artista acabou ganhando o Oscar de melhor filme em 2012, e o longa de Pablo Berger foi indicado como postulante da Espanha ao prêmio de filme estrangeiro para a cerimônia de 2013, mas, apesar de ser ainda mais ousado, terminou fora da disputa.

Além de mudo e preto e branco, Branca de Neve arrisca mais em se aventurar pelo famoso conto de fadas infantil, aquele da maçã e dos anões espertalhões. Mais do que isso, Berger, que também assinou o roteiro, não se conteve em focar seu filme na mocinha e embaralhou outros símbolos do imaginário popular do seu país ao ambientar a trama no universo das touradas.

O filme recria sim, a famosa fábula escrita pelos Irmãos Grimm no século XIX, mas tem seus personagens adaptados para uma Espanha do início do século XX, com direito a anões toureiros, e ainda é feito como as antigas produções do cinema da década de 1920. Quem ousaria ser mais inventivo?

Como na história original, o filme de Berger tem seus momentos cômicos e, às vezes, um quê de tragédia. O elenco é encabeçado por Macarena García (Branca de Neve) e Maribel Verdú (a Madrasta má), ambas muito bem adaptadas aos papéis, em interpretações caricatas porque se trata de um enredo caricato. 



Ficha Técnica:
Título: Branca de Neve (no original Blancanieves)
Roteiro e direção: Pablo Berger
Elenco: Meribel Verdú, Sofia Oria, Macarena Garcia, Daniel Giménez Cacho, Angela Molina.
Orígem: Espanha
Ano de Lançamento: 2012
104 minutos
Fotografia: Kiko de la Rica

Música: Alfonso de Vilallonga