sexta-feira, 5 de outubro de 2012

Cinema Francês e Brasileiro dividem a tela do Cineclube Araucária no mês de Outubro

O cinema francês não é tão conhecido dos brasileiros quanto deveria, sobretudo para quem mora fora dos grandes centros. Ainda assim, há alguns poucos filmes franceses em cartaz.
 
Uma oportunidade para se aproximar da produção contemporânea (e menos badalada) do país onde o cinema foi criado e revolucionado, com diretores como Jean Vigo e Jean Renoir, do realismo poético, François Truffaut, Claude Chabrol e Jean-Luc Godard, da nouvelle vague, o ainda em franca produção Alain Resnais, o contemporâneo François Ozon e tantos outros nomes que inspiram as novas gerações de cineastas de inúmeros países, o Cineclube Araucária apresenta Jean de Florette (19/10 às 19h30) e A Vingança de Manon (20/10 às 19h30), do diretor Claude Berri. 



Das produções nacionais, apresentaremos o filme Cinema, Aspirinas e Urubus (26/10 às 19h30), o primeiro  longa-metragem do diretor Marcelo Gomes. O filme recebeu o Prêmio da Educação Nacional, concedido em maio de 2005 pelo Ministério da Educação da França no Festival de Cannes, concorrendo com outras 1.600 produções internacionais.

O filme mostra a viagem pelo Nordeste do Brasil de dois homens: um alemão que fugiu da guerra e um brasileiro que tenta escapar da miséria provocada pela seca. O estrangeiro passa a exibir filmes pelo sertão com patrocínio do fabricante da aspirina, famoso analgésico.
Outro filme nacional que apresentaremos em outubro é o filme O Signo da Cidade (27/10 às 19h30), dirigido pelo ator Carlos Alberto Riccelli com roteiro de sua esposa, a atriz Bruna Lombardi, que protagoniza o filme.
A astróloga Teca vê nas estrelas o futuro daqueles que a cercam e assim sempre está preocupada em sempre ajudar a todos. Isso se estende até aos ouvintes de seu programa de rádio, O Signo da Cidade. Teca acaba de reencontrar seu pai, que a abandonou quando era criança e agora está na cama de um hospital. O programa é produzido por Mônica, que está sempre tentando ser esperta. O assistente, Biô, só quer ser feliz com sua namorada, a travesti Josi.

Gil acaba de se mudar para o prédio da astróloga com sua mulher, Lydia, que para o marido se faz de vitima enquanto procura aventuras amorosas fora de casa. Já Gabriel, faz tudo para a felicidade de sua mãe. Todos os personagens vivem na solitária cidade de São Paulo. Apesar de estar próxima dos problemas de todos, Teca aos poucos vai percebendo que é mais fácil se preocupar mais com ela mesma e deixar que as estrelas tomem conta do destino de cada um.