terça-feira, 29 de abril de 2014

A SURPREENDENTE HISTÓRIA DE PHILOMENA LEE NA TELA DO CINECLUBE ARAUCÁRIA

    Philomena abre o baú do passado sombrio da igreja católica na Irlanda


O Cineclube Araucária exibe neste mês de maio, na Sala de Saraus da AMECampos, a emocionante adaptação para o cinema de uma história real vivida na Irlanda durante mais de 50 anos pela hoje septuagenária enfermeira aposentada Philomena Lee.


Baseado numa impressionante história real, ocorrida na Irlanda dos anos 1950, Philomena, filme do inglês Stephen Frears, acompanha o calvário de Philomena Lee (Judi Dench, indicada ao Oscar de melhor atriz), uma enfermeira aposentada que procura pelo filho, Anthony. O menino lhe foi arrancado, ainda pequeno, quando ela vivia internada num convento - destino das moças que, como ela, engravidavam fora do casamento e eram abandonadas pelas famílias. Seus filhos eram encaminhados para adoção, em troca de polpudas doações para o convento e elas trabalhavam por anos em regime servil, até pagarem sua "dívida" com as freiras que as acolhiam e também exploravam. 

Philomena é ajudada em sua busca pelo jornalista Martin Sixmith (o comediante Steve Coogan, coprodutor e corroteirista do filme), que a princípio, a contragosto entra na parada. Cínico, ateu e ex-poderoso jornalista político, ele está num momento frágil na vida profissional. Não tem, portanto, nenhuma afinidade evidente com Philomena, que ele conhece já em seus 70 anos, 50 anos depois do sumiço do filho. Uma mulher simples, mas nada simplória, que apesar de tudo que sofreu não perdeu a fé católica.

Por interesse jornalístico, com intenção de vender a impressionante história de Philomena para uma revista, Martin acaba mergulhado numa jornada de detetive, que inclui uma viagem aos Estados Unidos em busca das pistas do pequeno Anthony – rebatizado Michael por sua família adotiva. O filme teve quatro indicações para o Oscar 2014: Melhor Atriz (Judi Mench), Melhor Filme, Melhor Trilha Sonora e Melhor Roteiro Adaptado. Mas, a consagração, de fato, foi dada pelo público que lotou as salas de cinema em quase todo o mundo, superando em três vezes o orçamento do filme apenas com a bilheteria da semana de lançamento nos Estados Unidos.
Philomena traz novamente à tona os crimes cometidos em conventos católicos irlandeses. O trabalho literalmente escravo dessas moças, pobres abandonadas pelas famílias por moralismo, já havia sido abordado anteriormente em 2002, no filme Em nome de Deus, de Peter Mullan.
Que a Igreja Católica vive outros tempos fica evidente também pela recente audiência, concedida pelo Papa Francisco, à verdadeira Philomena Lee, ao lado de Steve Coogan, em fevereiro deste ano. Philomena continua lutando para que outras mulheres tenham acesso aos registros de adoção de seus filhos na Irlanda e possam reencontrá-los.

A verdadeira Philomena Lee ao lado da atriz Judi Dench


assista o trailer oficial do filme Philomena, de Stephen Frears com Judi Dench e Steve Coogan


sábado, 12 de abril de 2014

TELA DE ESTRELAS - UMA NOITE DE MUITA EMOÇÃO


A estréia do projeto TELA DE ESTRELAS no restaurante Senadinho, no dia 5 deste mês de abril foi uma grande noite para todos os que ali compareceram, A emoção tomou conta da sala. Em nome de toda a equipe do Cineclube Araucária e do Restaurante Senadinho, registro aqui os nossos agradecimentos a todos que atenderam ao nosso convite para mais uma homenagem ao nosso saudoso seresteiro DANIEL CINTRA. Foi, sem dúvida, uma noite de boas lembranças para todos: equipe do Cineclube, parceiros da Casa e Público em geral, o qual foi recebido com as imagens e o som registrados na AmeCampos em julho do ano passado por ocasião da realização do 3º Encontro Cinemúsica de Campos do Jordão. Em seguida vieram o Curta de Oswaldo Caldeira e o Longa de Dimas Oliveira Júnior, ambos sobre a vida e carreira artística de Orlando Silva - o cantor das multidões. Fechando a programação de cinema, novamente a arte de Daniel Cintra se fez presente na tela de estrelas, especialmente montada no Senadinho, para emocionar ainda mais a todos com a sua interpretação da valsa Rosa, de Pixinguinha e Otávio de Souza - um dos grandes sucessos do cantor das multidões Orlando Silva. A noite seguiu em ritmo de seresta, com a música ao vivo especialmente programada pela administradora do Senadinho, Cynthia Cintra que também tem gentilmente apoiado as iniciativas do Cineclube Araucária em Campos do Jordão. Mais uma vez, muito obrigado pelo carinho dos amigos da sétima arte. Contamos com a presença de todos nas nossas próximas sessões.